quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Retratos do Ser


(Beto Takai)

O chão que caminho
Parece menos estável
Que o céu onde penso
As flores que cheiro
Parecem estar
Em estado de decomposição...
E aquilo tudo não faz mais sentido
Que o rabisco da minha poesia
E os acordes do meu violão.

3 comentários:

dani disse...

Nossa, muito massa... adorei, Beto! :D

^^

bjão

Aline Mayfair disse...

vixe..
esse tá do caralho!
parabéns cara!

Raul disse...

Um sujeito e sua visão
gostei...

É a beleza da contradição
É negar a si mesmo
E negar-se a si mesmo